Menu
Conteúdo gratuito para pacientes de câncer e doenças do sangue, e seus familiares!

Pacientes com câncer, muito cuidado com inverno

  

Shutterstock 705175807
Pacientes oncológicos precisam ter atenção redobrada com a saúde durante o inverno

Pacientes oncológicos precisam ter atenção redobrada com a saúde durante o inverno

Por Tatiane Mota

inverno está chegando e com ele aquele friozinho que desperta a vontade de ficar embaixo das cobertas, assistindo um filminho e comendo pipoca. Não podemos negar que a época mais fria do ano tem o seu charme. Mas também é importante ter em mente que ela exige cuidados especiais com a saúde, principalmente para os pacientes em tratamento oncológico.

Se você pensou que os responsáveis por tantos cuidados assim são as gripes e os resfriados, está parcialmente certo. É verdade que, no inverno, vírus e bactérias conseguem viver mais tempo e podem se alastrar com maior facilidade. Isso porque para fugir do frio, as pessoas tendem a ficar em locais mais fechados e sem circulação de ar.

Também é verdade que pacientes em tratamento de um câncer precisam ter muita atenção e evitar, de todas as maneiras possíveis, o contato com esses “invasores”, porque com a imunidade baixa, os riscos de complicações são bem maiores. É o que diz Dr. André Abdo, onco-hematologista do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo.

“As doenças típicas do inverno são um risco para os pacientes oncológicos. Principalmente quando se tratam de alguns tipos de vírus associados aos quadros pulmonares, como influenza e vírus sincicial respiratório. Nos pacientes com câncer, eles tendem a ser muito mais agravantes. Estima-se que o risco de internação com quadros pulmonares graves pela gripe seja de 3 a 5 vezes maior que na população em geral.”

Alguns cuidados básicos podem ajudar a prevenir o surgimento dessas doenças: frio, inverno, cancer, cuidado com o inverno, doenças

Evitar locais fechados e com grandes aglomerações, não ter contato com pessoas gripadas ou resfriadas, procurar sempre estar agasalhado, proteger-se do frio e usar máscaras são algumas delas. A vacina contra a gripe também é uma importante aliada.

“Ela está mais do que liberada e os pacientes oncológicos devem, sim, ser vacinados. Só há algumas restrições, como não receber a vacina no dia da quimioterapia ou se estiver com febre. Alguns estudos sugerem também que o uso do Rituximabe, medicamento utilizado para o tratamento do linfoma, reduziria a chance de proteção da vacina, então alguns especialistas recomendam a vacinação após seis meses da última dose”, diz o Dr. André.

Sensibilidade ao frio

As gripes e os resfriados, no entanto, não são os únicos vilões do inverno. Algumas pessoas costumam reclamar que, em dias muito frios, sentem dor e uma sensação de formigamento nas extremidades do corpo – mãos e pés. Em determinadas situações, isso pode ser considerado normal, já que as baixas temperaturas provocam constrição vascular, prejudicando a circulação do sangue. Com a necessidade de aquecimento da musculatura, é provocada uma contração nos músculos, que causa dor. Porém, no caso dos pacientes com câncer, é possível que essas sensações também estejam ligadas ao tratamento.

“O frio, em conjunto com a toxicidade neurológica de alguns quimioterápicos, pode aumentar a sensibilidade dolorosa nas mãos e pés. Sugerimos que o paciente mantenha essas regiões bem quentes, com meias e luvas, se necessário. O uso de alguns suplementos, como a vitamina B também pode apresentar melhora em alguns casos”, afirma o Dr. André.

De olho na imunoterapia frio, inverno, cancer, cuidado com o inverno, doenças

Sem sombra de dúvidas a imunoterapia é uma das principais inovações científicas no combate a alguns tipos de câncer, como os linfomas.

O sistema imune é responsável por detectar e destruir os perigos para o corpo, como os vírus, as bactérias e até mesmo células que podem se transformar em um câncer. Mas, algumas vezes, esses perigos driblam esse sistema de defesa, e é nesse momento que um câncer pode surgir.

Com a chegada da imunoterapia, medicamentos, também conhecidos por anticorpos monoclonais, passaram a usar o próprio sistema imunológico do corpo para atacar as células cancerígenas. Ou seja, com o apoio do tratamento, o organismo do paciente é estimulado a identificar as células doentes e atacá-las.

Atualmente, esses medicamentos podem ser aplicados de maneira intravenosa (diretamente pela veia do paciente) ou subcutânea (administrados por uma injeção subcutânea). Os resultados apresentados são extremamente satisfatórios. Mas, embora apresentem menos efeitos colaterais que o tratamento padrão com quimioterapia ou radioterapia, algumas reações exigem cuidados especiais.

Dentre os eventos adversos estão os problemas respiratórios, aqueles que também aparecem com maior facilidade no inverno, como a tosse e a falta de ar.

“A imunoterapia pode realmente resultar em algumas complicações pulmonares e respiratórias como efeitos colaterais indesejados. Associados ao fato de maior circulação de vírus que também levam a doenças respiratórias, no inverno a preocupação e os cuidados devem ser ainda maiores”, fala o médico.

NÃO PASSE FRIO!

7 dicas para evitar as doenças típicas de inverno

  1. Opte por roupas confortáveis e dê preferência para casacos e blusas feitos com lã.
  2. Use gorros, boinas ou até mesmo o capuz do casaco, quando for sair à rua. Assim, é possível evitar dores de ouvido.
  3. Aproveite para tomar sopas e chás bem quentinhos. Além de aquecê-lo, eles são nutritivos e irão manter a hidratação do corpo.
  4. Os banhos quentes são bem relaxantes, mas tenha atenção com a pele. Os tratamentos podem ressecá-la e a água muito quente pode ser prejudicial.
  5. Evite locais com aparelhos de ar condicionado quente, porque eles deixam as vias respiratórias secas, causando alergias. Para uma boa noite de sono, opte por umidificadores.
  6. Evite locais fechados e com grandes aglomerações de pessoas.
  7. Evite o contato com pessoas gripadas ou resfriadas. Se for necessário, use máscara, é mais seguro.

 

Vacina contra a gripe, posso tomar?

Da o maior caldo

Deixe um comentário

  Receba um aviso sobre comentários nessa notícia  
Me avise quando