Menu
Conteúdo gratuito para pacientes de câncer e doenças do sangue, e seus familiares!

Você tem um médico para chamar de seu?

Como pacientes queremos que cuidado e atenção sejam moldados às nossas necessidades

Como pacientes queremos que cuidado e atenção sejam moldados às nossas necessidades

Querido(a) amigo(a),

Temos testemunhado uma época de muitos avanços tecnológicos na Medicina e o surgimento de novos termos para relações que são milenares: medicina personalizada, atenção centrada no paciente, medicina de precisão, dentre outros.

Sem enfeitar muito, como pacientes queremos que o cuidado e a atenção sejam moldados às nossas necessidades, para que possamos, com a maior brevidade possível, recuperar o nosso bem-estar e restaurar o equilíbrio orgânico.

Outro dia, num evento que participei, uma amiga que estava na mesa de debate perguntou para a audiência: “você tem um médico para chamar de seu? ”. Nesta hora, refleti o quanto era privilegiada, porque, sim, tenho quatro médicos que posso intitular de “muito meus”.

Mas o que exatamente significa isto? Bem, é preciso haver uma relação humana que ultrapasse a informação biológica do diagnóstico. O médico não pode apresentar um plano de tratamento definido, baseado apenas na análise laboratorial. Se seu médico não perguntar sobre a sua vida, talvez seja necessário considerar procurar um outro profissional.

Você é a pessoa que mais sabe sobre si e para que participe da decisão sobre o seu tratamento, em parceria com o médico, ele precisa saber muitos detalhes: quem é você, qual é o seu trabalho, como são suas relações anteriores com a saúde e hábitos… O médico precisa usar suas habilidades e talentos para construir esta relação de confiança e empatia, afinal cada ser humano é único e reagirá de forma individual ao tratamento que será oferecido.

Com a relação de confiança, o paciente irá acessar sua habilidade de cura, inerente a todo ser humano, e que é fortalecida pelas crenças e valores pessoais. Você precisa escutar o seu corpo e passar ao seu médico como está se sentindo para, juntos, minimizarem o medo, expandirem a força e definirem qual caminho seguirão.

Portanto a Medicina será centrada no paciente na medida que houver um esforço de toda a equipe para acolhê-lo de tal forma que ele se sinta confiante sobre as decisões tomadas a respeito das terapias a que será submetido. Ao ter a mente e coração abertos, seu médico contribuirá para você ser um paciente de sucesso!

A partir do contato com muitos pacientes e com os meus queridos médicos me motivei a compartilhar um pouco da minha história e experiência como paciente no livro Coragem Está no Sangue, que lancei há poucos dias e cuja venda reverterá recursos para os programas da Abrale. (ver matéria na página XXXXXXXXXX)

A instituição, que existe há 16 anos, tem contribuído muito para a melhoria dos desfechos nos tratamentos onco-hematológicos e oncológicos no Brasil. Nosso compromisso é construir pontos entre quem pode ajudar e quem precisa de ajuda, fomentando a colaboração entre múltiplos atores e trabalhando com muito amor em todo o país. Trabalho que só é possível graças a uma equipe muito competente e comprometida, centenas de voluntários e ao apoio financeiro de pessoas e empresas que confiam que devemos contribuir para construção de um Brasil com menos desigualdades de oportunidades na área da saúde.

Espero que você continue conectado conosco, participando deste imenso esforço da forma que lhe for possível.

Boa leitura e tim tim à vida!

Forte e carinhoso abraço,

Merula Steagall

Você Tem Um Médico Para Chamar De Seu?