Menu
Conteúdo gratuito para pacientes de câncer e doenças do sangue, e seus familiares!

Fato ou fake: quais alimentos causam câncer?

  

Shutterstock 158352452
Existem alguns alimentos que são considerados fatores de risco para o desenvolvimento de um câncer. Porém, nesse mundo de fake news é preciso ter cuidado. Descubra o que é fato e o que é fake!

Existem alguns alimentos que são considerados fatores de risco para o desenvolvimento de um câncer. Porém, nesse mundo de fake news é preciso ter cuidado. Descubra o que é fato e o que é fake!

Por Natália Mancini

A alimentação é fundamental para o ser humano. Ainda mais quando ela é saudável. Mas será que você sabe realmente o que faz bem ou não? Será que o que você leu sobre alimentos relacionados ao câncer é verdade? Nesse dia 1º de abril, dia da mentira, nós te contamos os maiores fatos e fakes sobre alimentos considerados fatores de risco ou possibilidades de cura para o câncer.

Mas antes de começarmos, é importante definir o que é um fator de risco. “Fator de risco é algo que afeta a sua chance de contrair uma doença. Diferentes fatores de risco podem estar associados a alguns tipos de câncer”, explica Bianca Manzoli, nutricionista e membro do Comitê de Nutrição da Abrale.

As fibras previnem o câncer.

FATO 

Bianca explica que as fibras são compostos vegetais presentes, principalmente, nos grãos (como feijão), verduras, legumes e frutas. O corpo humano não consegue digeri-los, então eles passam praticamente intactos pelo sistema digestivo. Por isso, ajudam na manutenção da microbiota, os microrganismos que vivem no aparelho digestivo, e estimulam o trânsito intestinal. Portanto, o consumo diário de fibras é um forte aliado ao bom funcionamento intestinal. Ou seja, cuidar bem do seu intestino pode te ajudar a evitar um câncer.

Consumir carne vermelha causa câncer.

FATO

Assim como o tabagismo, alguns hábitos alimentares são fatores de risco para o câncer, mas que podem ser controlados e evitados. Em estudos, percebe-se um aumento no surgimento do câncer com o consumo de carnes processadas.

“Sendo assim, devemos nos atentar a melhores escolhas alimentares e priorizar uma dieta rica em vegetais, frutas e grãos integrais, sendo priorizada, cada vez mais, a diminuição no consumo de carnes vermelhas, embutidos e alimentos gordurosos. Além, também, dos alimentos industrializados e enlatados”, diz a nutricionista.

Isso não quer dizer que é preciso parar de comer carne. Porém, os especialistas orientam um consumo limite de 500 gramas por semana.

Interromper o consumo de açúcar faz o câncer parar de crescer.

FAKE

Todas as células precisam de glicose (açúcar) como fonte de energia para realizar as suas funções. Então, elas retiram essa energia principalmente dos carboidratos, grupo no qual o açúcar se encontra. Dentre as funções realizadas pelas células, está a divisão celular que pode vir a apresentar alguma anomalia causando o câncer.

Interromper o consumo de carboidratos não fará com que as células fiquem sem energia e, consequentemente, morram. Isso porque, quando elas não encontram energia nessas fontes, utilizarão outras como proteínas e gorduras.

Bianca alerta que cortar os carboidratos da sua dieta é extremamente perigoso! “Como consequência, você perde peso e músculo, o que pode gerar prejuízos para o seu corpo e para o seu tratamento”, explica.

Refrigerantes podem causar câncer.

FATO

Grande parte dessas bebidas contém a substância química 4-MI (4-metil-imidazol), classificada como possivelmente cancerígena pela Agência Internacional para Pesquisa em Câncer, da Organização Mundial da Saúde (OMS). Além disso, eles possuem também grande quantidade de açúcar, podendo causar outras doenças.

Café causa câncer.

FAKE

O café não é considerado como fator de risco para câncer. Entretanto, a ação das altas temperaturas que o café é consumido podem causar danos às células. Isso, sim, está associado ao aumento no risco de câncer no esôfago.

Porém, a Bianca orienta um consumo consciente. “No máximo cinco xícaras ou copinhos de 50 ml por dia, sem adoçar”.

Pipoca de micro-ondas causa câncer.

FAKE

A nutricionista explica que a radiação do micro-ondas consegue apenas cozinhar e/ou aquecer os alimentos. Ou seja, ela não possui a propriedade de alterar a estrutura das moléculas do alimento. Sendo assim, o consumo de alimentos aquecidos por esse utensílio não aumenta o risco de câncer.

Aspartame, substância encontrada no adoçante, pode causar câncer.

FATO

O consumo do aspartame tem potencial para desenvolver um câncer. É importante evitar o seu consumo e, principalmente, educar o paladar para sentir o real gosto dos alimentos.

“Segundo o comitê científico de alimentação e saúde das Nações Unidas, o seu consumo diário não deve ultrapassar 40 mg para cada quilo de peso corporal. Isso significa que um adulto de 70 kg pode ingerir com segurança até 2.800 mg de aspartame por dia”, conta Bianca.

Pão e alimentos tostados podem causar câncer.

FATO

Na verdade, eles são considerados pela OMS como provavelmente cancerígenos para humanos. Ou seja, os efeitos nocivos da substância já foram comprovados em animais e em laboratórios, porém ainda faltam evidências em humanos. A cor escurecida típica de alimentos torrados, fritos ou assados acontece devido à acrilamida. Ela é uma substância formada por uma reação química entre os aminoácidos, açúcares e água presentes nos alimentos ricos em amidos quando são preparados a mais de 120º.

É importante lembrar que a alimentação não é considerada o único fator de risco para o desenvolvimento de um câncer. A doença acontece devido a multi-fatores, inclusive genéticos. Então deve-se sempre buscar seguir uma vida equilibrada e saudável.

Deixe um comentário

  Receba um aviso sobre comentários nessa notícia  
Me avise quando