Menu
Conteúdo gratuito para pacientes de câncer e doenças do sangue, e seus familiares!

Se você tem dúvidas sobre linfoma, nós respondemos!

  

Shutterstock 1249507945
Desde o tratamento para os linfomas raros até aposentadoria por invalidez, veja respostas para as principais dúvidas que chegam via Apoio ao Paciente Abrale

Desde o tratamento para os linfomas raros até aposentadoria por invalidez, veja respostas para as principais dúvidas que chegam via Apoio ao Paciente Abrale

Por Natália Mancini

Em 15 de setembro é comemorado o Dia Mundial da Conscientização sobre os Linfomas. Esse câncer acomete mais de 12 mil pessoas por ano no Brasil e diagnosticá-lo precocemente é fundamental! Por este motivo, a Abrale criou a campanha #SeToque, que objetiva levar informação sobre os principais sintomas da doença para toda a população.

Sabemos que o linfoma possui vários subtipos e opções de tratamento e todas essas informações podem causar dúvidas. Por isso, pegamos algumas das questões mais frequentes dos nossos pacientes e trazemos nesta matéria as respostas, com o apoio do Dr. Nelson Hamerschlak, coordenador da hematologia no Hospital Albert Einstein e da Camila Vasconcelos, do departamento jurídico da Abrale.

O que são as lesões causadas pelo linfoma? Elas dificultam o tratamento?

linfoma, linfomas, lesao por linfoma, linfoma causa lesao, linfoma de celulas t, linfoma tratamento, prioridade na justica, prioridade na justiça, aposentadoria por invalidez, tfdDe acordo com o Dr. Hamerschlak, existem linfomas que atingem o osso com lesões que podem ser isoladas e localizadas. Ou seja, o linfoma está em um único osso, em vários e/ ou também pode estar nos gânglios e medula óssea.

Em relação ao tratamento, não há grandes mudanças. “Normalmente é igual. Em algumas situações recomenda-se radioterapia isolada ou associada e em alguns casos profilaxia do sistema nervoso central”, explica o médico.

O linfoma não-Hodgkin folicular tem cura? Quais são os tratamentos mais utilizados?

linfoma, linfomas, lesao por linfoma, linfoma causa lesao, linfoma de celulas t, linfoma tratamento, prioridade na justica, prioridade na justiça, aposentadoria por invalidez, tfd

Normalmente, o linfoma folicular é considerado como uma doença indolente, ou seja, de evolução lenta. Por isso nem sempre precisa de tratamento. Nesses casos, apenas o acompanhamento médico pode ser suficiente.

Se a doença estiver localizada e necessitar de intervenção médica, a radioterapia pode ser utilizada para tratamento e até cura. Entretanto, se estiver mais avançado, será tratado com imunoterapia (anticorpos anti CD 20) isolada ou associada à quimioterapia.

O Dr. Hamerschlak afirma que o recomendado é realizar imunoterapia de manutenção após o tratamento.

Por que o linfoma não-Hodgkin de células T pode virar uma leucemia? Quando isso acontece, qual o tipo de tratamento feito?

“Não somente os linfomas T, mas também os B podem virar uma leucemia. Isto acontece por comprometimento da medula óssea e consequente invasão das células doentes no sangue. O tratamento, nesses casos, geralmente é parecido com o tratamento do linfoma em estágios avançados”, explica o especialista.

Os dois tipos de linfoma apresentam boas respostas ao tratamento. E quando ele recidiva, as chances de cura também são boas?

linfoma, linfomas, lesao por linfoma, linfoma causa lesao, linfoma de celulas t, linfoma tratamento, prioridade na justica, prioridade na justiça, aposentadoria por invalidez, tfd

Dr. Nelson enfatiza que devemos sempre acreditar que é possível conseguir resultados positivos. Aliás, pacientes com linfoma de Hodgkin e não-Hodgkin têm respostas muito boas mesmo quando há recidiva.

Ele exemplifica que para essa situação “temos tratamentos de resgate, transplantes autólogo e alogênicos, imunoterapia, imunomoduladores, terapia alvo, terapia voltada à sinalização da célula B, anticorpos biespecíficos e terapia com células geneticamente modificadas”.

Como ter acesso aos medicamentos de alto custo não incorporados pela ANS (planos de saúde)?

 

linfoma, linfomas, lesao por linfoma, linfoma causa lesao, linfoma de celulas t, linfoma tratamento, prioridade na justica, prioridade na justiça, aposentadoria por invalidez, tfdO paciente pode recorrer à justiça para conseguir esse medicamento. Dessa forma, terá que apresentar a negativa formalizada do plano de saúde para o medicamento. Além desse documento, precisará da cópia do RG, CPF, cartão do plano de saúde, relatório médico indicando histórico do tratamento e a importância do novo medicamento, prescrição do medicamento, cópias de exames que comprovem a doença e comprovante de renda e residência.

Toda essa documentação deverá ser apresentada à Defensoria Pública, Juizado Especial Cível ou advogado particular.

Camila, do departamento jurídico da Abrale, ressalta que caso o medicamento esteja incorporado à ANS, mas o plano de saúde recusar seu fornecimento, é recomendado fazer uma denúncia na própria ANS. “Caso não tenha resposta do plano de saúde, a ANS iniciará um processo administrativo para verificar a ocorrência de infração por parte da operadora”, explica ela.

É essencial anotar o protocolo da negativa do Plano de Saúde para informar junto à denúncia!

O linfoma me dá direito à aposentadoria por invalidez?

linfoma, linfomas, lesao por linfoma, linfoma causa lesao, linfoma de celulas t, linfoma tratamento, prioridade na justica, prioridade na justiça, aposentadoria por invalidez, tfdA doença por si só não, esse direito só será concedido se o paciente for declarado incapaz e estiver segurado. Ou seja, se houver uma complicação permanente que o impeça de trabalhar e ele tiver contribuído nos últimos 12 meses.

Para conseguir esse direito, o paciente deve requerer o auxílio doença. Esse auxílio confirma que a pessoa está temporariamente incapacitada de trabalhar por meio de um laudo médico. Caso o laudo comprove que a incapacidade temporária transformou-se em definitiva, o paciente pode entrar com um requerimento para a aposentadoria por invalidez.

A solicitação deve ser feita pessoalmente, comparecendo em uma Agência da Previdência Social ou pelo site: www.previdencia.gov.br

Veja aqui a documentação necessária

Tenho linfoma, posso solicitar o TFD?

 Camila explica que o tratamento fora do domicílio (TFD) garante que o paciente receba assistência em um local longe da sua residência. Para isso, distância entre o local de tratamento e a casa do paciente precisa ser superior a 50km.

O paciente contará com ajuda de custo se for atendido pelo SUS e não tiver condições de tratamento em sua região. O TFD é oferecido conforme disponibilidade de orçamento de cada município.

“Quem realiza a avaliação para a necessidade do TFD é o próprio médico do SUS. O pedido deve ser apresentado na Secretaria Estadual ou Municipal de Saúde”, explica ela.

Como o paciente com linfoma pode solicitar a prioridade na justiça?

linfoma, linfomas, lesao por linfoma, linfoma causa lesao, linfoma de celulas t, linfoma tratamento, prioridade na justica, prioridade na justiça, aposentadoria por invalidez, tfdO pedido de prioridade deve ser feito pelo advogado habilitado no processo, apresentando provas da doença (laudos, relatórios médicos, exames).

Camila finaliza dizendo que “quando são procedimentos administrativos ou processos judiciais que tramitam nos Juizados Especiais, que não possuem assistência de advogado, o próprio paciente pode requisitar a prioridade, apresentando documentação que comprove a enfermidade”.

 

Avanços tecnológicos beneficiam o tratamento de linfoma

Existem fatores de risco para o linfoma?

Deixe um comentário

  Receba um aviso sobre comentários nessa notícia  
Me avise quando