skip to Main Content
11 3149-5190 | 0800-773-9973 FALE CONOSCO Como ajudar DOE AGORA

Saiba tudo sobre o Mieloma Múltiplo e como ele ocorre

 

Plasmocitos_Mieloma_Múltiplo
Plasmocitos Mieloma Múltiplo

O mieloma múltiplo, ou apenas mieloma, tem início na medula óssea, quando ocorre um defeito celular. No momento em que os linfócitos B se diferenciam e se tornam plasmócitos, ocorre então uma mutação, ou seja, um erro em um ou mais de seus genes, que devido a esse erro, passam a produzir plasmócitos anormais.


Mieloma é Câncer?

Estas células anormais são chamadas ‘células malignas’ ou ‘células do mieloma’. O Mieloma é um tipo de câncer mais frequente em pessoas acima dos 50 anos. Os plasmócitos defeituosos acumulam-se na medula óssea, formando os plamocitomas, que é considerado um “tumor maligno”, por se tratar de um aglomerado de células defeituosas a atrapalhar o bom funcionamento das células saudáveis.

Os plasmocitomas são tumores localizados,  formados por um aglomerado de plasmócitos anormais. Eles podem crescer tanto dentro do osso, quer dizer de forma intramedular, como fora dele, ou seja de forma extramedular. Quando os plasmocitomas crescem dentro do osso, prejudicam tanto a produção normal das outras células sanguíneas como danificam a estrutura óssea, ao se expandirem para a parte sólida do osso.

Quando existem vários plasmocitomas dentro e fora do osso, chamamos essa condição de mieloma múltiplo. Como vimos anteriormente, a principal função dos plasmócitos é produzir as imunoglobulinas, responsáveis pela defesa do corpo.

estrutura_de_uma_molécula_de_imunoglobina_normal
Estrutura de uma molécula de imunoglobina normal

Plasmócitos anormais produzem imunoglobulinas anormais, e porque não conseguem exercer suas funções de proteção, formam um amontoado de proteínas “bagunçadas”, chamadas proteína monoclonal ou proteína M.

Para entender melhor: a proteína monoclonal é uma imunoglobulina malformada.

Portanto, outra característica típica do mieloma múltiplo é o fato de a proteína monoclonal estar presente no sangue e na urina. A quantidade de proteína monoclonal presente no organismo irá variar para cada paciente, mas na avaliação da doença, é muito importante saber o quanto as células do mieloma produzem de proteína monoclonal, se muito ou pouco. A proteína M pode danificar os rins.

Manual informativo

Tudo o que você precisa saber sobre o Mieloma Múltiplo.

Vídeos relacionados
Back To Top