skip to Main Content
11 3149-5190 | 0800-773-9973 FALE CONOSCO Como ajudar DOE AGORA

Você está na sessão de Linfoma de Manto, para ver sobre outros Linfomas CLIQUE AQUI

COMPORTAMENTO DO LINFOMA DO MANTO

É possível entender a doença com:

1 – Nível molecular

É onde se faz a determinação do p53, gene IgHV mutado e status Ki-67. Ter esses genes mutados indica um comportamento mais agressivo do linfoma.


2 – Análise clínica

Aqui o fator mais indicativo é a idade, pois quanto mais idoso, pior a resposta ao tratamento e à possibilidade de consolidação com TMO. Também será checada a performance do paciente, avaliando se há outros problemas de saúde.


3 – Pós-clínico

Nesta fase deve identificar-se se o paciente é capaz ou não de aceitar os medicamentos Citarabine e Rituximabe e, também, passar por um eventual transplante de medula óssea.


4 – Formas

No paciente com linfoma do manto indolente, deve-se apenas observar o status do gene p53, que corresponde de 5% a 15% dos casos. Neste caso, a doença costuma evoluir mais lentamente e o acompanhamento clínico será o tratamento.


5 – Sintomas

Os sintomas, tem como fatores determinantes a idade e a performance clínica, além do status Ki-67. Quando mais elevado, e aqui estamos falando de um percentual acima de 90%, significa que há maior índice de proliferação da doença e, portanto, um linfoma mais agressivo.


Referência Bibliográfica dos conteúdos de Linfoma do Manto:

1) Ng Yun, Bishton M, Ritchie D, et al. A multi-center retrospective comparison of induction chemoimmunotherapy regimens on outcomes in transplant ineligible patients with previous untreated mante cell ltmphoma Hematol Oncol.2019.doi:10.1002/hon.2618.

2) Wang ML, Rule S, Martin P, et al. Targeting BTK with ibrutinib in relapsed or refractory mantle-cell lymphoma. N Engl J Med.2013;369(6):507-516.doi:10.1056?NEJMoa1306220.)

3) Davis MS, Roberts AW, Wierda WG, et al. Long-term follow-up of patients with mantle lymphoma treated with venetoclax monotherapy. Blood.2018;132:132:2883.doi:10.1182/ blood-2018-99-1172210.)

4) Tam CS, Anderson MA, Pott C, et al. Ibrutinibe plus venetoclax for the treatment of mantlecell lymphoma. N Engl J Med.2018;378(13):1211-1223. Doi:10.1056/NEJMoa1715519.)

5) Geisler CH, Kolstad A, Laurell A, et al. For the Nordic Lymphoma Group (2008). Long-term progression-free survival of mantle-cell lymphoma after intensive front-line immunochemotehrapy witn in vivo-purged stem cell rescue: a nonrandomized phase 2 multicenter study by the Nordic Lymphoma Group. Blood.2008;112:2687-93.

6) Romaguera JE, Fayad L, Rodriguez MA, et al. High rate of durable remissions after treatment of newly diagnosed aggressive mantle-cell lymphoma with rituximab plus hyper-CVAD alternating with rituximab plus high-dose methotrexate and cytarabine. J Clin Oncol.2005;23(8):7013-23.

Back To Top