skip to Main Content
11 3149-5190 | 0800-773-9973 FALE CONOSCO Como ajudar DOE AGORA

DIANTE DO DIAGNÓSTICO DE LINFOMA NÃO-HODGKIN, É IMPORTANTE FAZER AS PERGUNTAS CERTAS

Linfoma de Hodgkin

Converse com o médico sobre o linfoma não-Hodgkin e pergunte sobre como ele planeja tratá-lo. Isto porque ao lhe dar as respostas certas, ele lhe ajudará a saber mais sobre a doença e o tratamento, além de deixá-lo mais envolvido e seguro para tomar decisões. Algumas perguntas para fazer ao seu médico são:


  1. Me explique o que mostram os testes sanguíneos e de medula óssea? De que forma esses resultados se comparam com o “normal”?
  2. Quando precisarei fazer estes exames novamente?
  3. Que tipo de tratamento será necessário?
  4. Existem diferentes tratamentos para meu caso?
  5. O tratamento será coberto pelo meu plano de saúde ou pelo SUS?
  6. Quais efeitos colaterais posso esperar do tratamento?
  7. O que pode ser feito para lidar com esses efeitos colaterais?
  8. Com que frequência e por quanto tempo necessitarei de acompanhamento médico?
  9. Precisarei alterar minha rotina ou evitar alguma atividade?
  10. Quantos pacientes com linfoma não-Hodgkin você atende?
  11. Existe algum estudo clínico em andamento em que eu possa ser incluído?
  12. Quais as perspectivas após o tratamento?

Pode ser útil anotar as respostas às suas perguntas, pois você pode revê-las com calma depois da consulta. É sempre bom levar um membro da família ou um amigo à consulta médica, isso porque ele também poderá ouvir, fazer anotações e oferecer apoio. Os pacientes, como também seus familiares, que não estiverem seguros sobre o tratamento, podem querer ouvir uma segunda opinião médica.

Além disso, é importante que pacientes com linfoma conversem com seus familiares e amigos sobre como se sentem, e assim, saibam que podem contar com o suporte dos profissionais de psicologia.

Ainda tem dúvidas sobre o Linfoma não-Hodgkin? A ABRALE pode te ajudar!

Back To Top