Tel.: (11) 3149-5190 | 0800-773-9973

logo home

Queremos o Brentuximabe no SUS! Nos ajude nesta luta

Pacientes com linfoma de Hodgkin precisam do medicamento para melhores resultados no tratamento.

O que isso significa?

A proposta de elaboração das DDT do linfoma de Hodgkin é uma demanda proveniente da Portaria nº 12, de 11 de março de 2019, que incorporou o medicamento Brentuximabe vedotina para o tratamento de pacientes adultos com LH refratário ou recidivado após transplante autólogo de células-tronco hematopoéticas, conforme protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde e mediante negociação de preço, no âmbito do SUS. Uma tímida vitória frente ao potencial desta terapia.

Com a falta da Bleomicina em mercado nacional, o Brentuximabe passou a ser usado como substituto. Mas, hoje, ele não está aprovado para uso em todos os pacientes com LH. E você pode nos ajudar a mudar esta situação, participando da consulta pública!

E o que será feito com a Bleomicina?

Este também é o momento de mostrar para a CONITEC que a Bleomicina está em falta no Brasil há anos! Mesmo preconizado em uma DDT não há oferta, e diversos pacientes possuem dificuldade em acessar este este medicamento fundamental. Em sua última pesquisa, a Abrale constatou que 1 a cada 10 pacientes interrompem seu tratamento de linfoma de Hodgkin pela falta da Bleomicina.

E precisamos de sua ajuda para comunicar à Conitec sobre este problema!

O que é uma DDT?

As Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas (DDT) em Oncologia são documentos baseados em evidência científica que visam nortear as melhores condutas na área da Oncologia.

Este documento não se restringe às tecnologias incorporadas no Sistema Único de Saúde (SUS), mas sim ao que pode ser oferecido a este paciente, garantindo a autonomia dos centros de tratamento na escolha da melhor opção para cada situação clínica.

O que esperar deste novo documento?

O Ministério da Saúde apresentou os principais regimes de tratamento para a forma clássica do linfoma de Hodgkin. São indicados os protocolos “ABVD”, “BEACOPP Padrão” e “BEACOPP Escalonado”. Os três protocolos utilizam Bleomicina. A falta deste e outros medicamentos são uma das principais bandeiras políticas da ABRALE.

Vamos lutar pelo Brentuximabe no SUS para uso do tratamento do LH e também pela volta da Bleomicina!

Participe da Consulta Pública. É bem simples:

PASSO 1

Acesse http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=54854


PASSO 2

Preencha suas informações pessoais, como CPF, nome, sexo, idade, etc.


PASSO 3

Escolha a categoria em qual se encaixa: se paciente, familiar e cuidador, profissional de saúde ou interessado no tema.


PASSO 4

Comente aqui sobre a falta da Bleomicina e como a falta deste medicamento afetou negativamente o seu tratamento, ou de algum conhecido.


PASSO 5

Assim que todas as informações estiverem preenchidas, clique em GRAVAR.

Pronto, você já deu sua contribuição! Vamos trilhar este caminho juntos.

Para conferir o documento na íntegra: http://conitec.gov.br/images/Consultas/Relatorios/2020/DDT_Linforma_de_Hodgkin_CP_11_2020.pdf

Busca rápida


Importante!

Os conteúdos disponíveis neste portal são exclusivamente educacionais e informativos. Em hipótese nenhuma deve substituir as orientações médicas, a realização de exames e ou, tratamento. Em caso de dúvida consulte seu médico! O acesso a informação é um direito de todos.

 

logo rodape parceria social v02