skip to Main Content
11 3149-5190 | 0800-773-9973 FALE CONOSCO Como ajudar DOE AGORA

Participe da Consulta Pública em prol da incorporação do Acalabrutinibe aos planos de saúde!

Última atualização em 10 de maio de 2022

Saúde em suas mãos: nos ajude a reverter a recomendação desfavorável para linfoma de células do manto

A Agência Nacional de Saúde (ANS) abriu a Consulta Pública nº 95 para ouvir a sociedade sobre a incorporação de alguns fármacos, entre eles o Acalabrutinibe, para tratamento de Leucemia Linfocítica Crônica (LLC) e Linfoma de Células do Manto (LCM). O prazo final para envio das contribuições é dia 20 de abril de 2022.

Ao todo, serão analisadas três indicações, para as quais a ANS já recomendou preliminarmente. Para as análises referentes ao tratamento da Leucemia Linfocítica Crônica, a ANS se mostrou favorável à incorporação do Acalabrutinibe, porém desfavorável para o tratamento indicado aos pacientes com Linfoma de Células do Manto recidivado ou refratário, confira:

  • Nº 16 Acalabrutinibe para tratamento de Leucemia Linfocítica Crônica (LLC) em primeira linha – Favorável à incorporação
  • Nº 17 Acalabrutinibe para tratamento de Leucemia Linfocítica Crônica (LLC) recidivada ou refratária – Favorável à incorporação
  • Nº 18 Acalabrutinibe para tratamento de Linfoma de Células do Manto (LCM) recidivado ou refratário – Desfavorável à incorporação

A sua voz importa!

Seja para manter ou reverter a recomendação inicial da ANS, não deixe que decidam sem a sua participação. Essa é a nossa chance de sermos ouvidos e ajudar milhares de pacientes usuários de planos de saúde a terem acesso ao Acalabrutinibe. Por isso, se você é paciente de LLC e LCM, teve experiência prévia com o medicamento, é cuidador, familiar, amigo de paciente ou profissional da saúde, envie a sua contribuição à ANS e exerça o seu direito de participação social!

Como faço para participar?

  1. Acesse o link da Consulta Pública no site da ANS –  Aqui
  2. Abaixo da página, há a seção “Envie seu comentário” 
  3. Selecione a Unidade de Análise Técnica (UAT) que você deseja contribuir e preencha os campos com a sua opinião e justificativa.
    • No campo “Opinião”, fique atento! A recomendação preliminar da ANS para LCM é pela não incorporação do Acalabrutinibe ao rol. Portanto, se você entende que o Acalabrutinibe para LCM deve ser incorporado à saúde suplementar,  deve responder que DISCORDA DA RECOMENDAÇÃO PRELIMINAR. 
    • Por outro lado, as recomendações preliminares do acalabrutinibe indicado para LLC foram favoráveis, portanto, se você entende que o acalabrutinibe para LCM deve ser incorporado à saúde suplementar,  deve responder que CONCORDA COM A RECOMENDAÇÃO PRELIMINAR. 
  4. Depois de preencher, clique em “incluir comentário”. Caso queira contribuir em mais de uma UAT, repita a etapa 3.
  5. Ao selecionar o botão “Continuar”, preencha os seus dados de contato e clique em “Enviar” 

Ressaltamos que antes de fazer a sua contribuição você pode ler os documentos relativos às recomendações preliminares. Eles ajudam a compreender o que embasou a decisão. 

Juntos podemos reverter a recomendação desfavorável para LCM!

Durante a reunião do COSAÚDE, realizada no dia 19 de março, os membros decidiram, por unanimidade,  recomendar a incorporação do acalabrutinibe para linfoma de células do manto (LCM) recidivado ou refratário ao rol da ANS. Na ocasião, consideraram o melhor custo-efetividade quando comparado à tecnologia atualmente disponível, o Ibrutinibe. Entretanto, durante as discussões da 6º Reunião Extraordinária da Diretoria Colegiada (DICOL), realizada no dia 28 de março, o parecer inicial apresentado pela DICOL foi desfavorável à incorporação.

A participação social ampla, no processo de incorporação de novas tecnologias ao rol de eventos e procedimentos da saúde suplementar, não mais se restringe às consultas públicas. Agora, acrescentou-se a tal processo as audiências públicas com a participação aberta à sociedade, para colher contribuições apenas às decisões preliminares desfavoráveis. 

No dia 8 de abril, foi realizada a Audiência Pública nº 21, que entre outras tecnologias, debateu a recomendação de não incorporação do acalabrutinibe para LCM. Representantes de sociedades médicas, médicos especialistas, associações de pacientes e a proponente defenderam a incorporação e confrontaram a decisão preliminar.  O Senhor Eduardo Fróes e o Dr. Renato Sampaio, médico hematologista e diretor da ABHH, na ocasião representaram a Abrale. 

Agora, a consulta pública servirá para a sociedade reforçar a importância da incorporação do acalabrutinibe ao rol de eventos e procedimentos, uma vez que o medicamento se comprovou eficaz, com menores efeitos adversos quando comparado ao ibrutinibe, além de representar uma significativa economia para a saúde suplementar.

Câncer também se combate com informação 

Entenda como é o tratamento, diagnóstico dos principais sinais de cada uma das patologias no site da Abrale. Acesse:

Nós da Abrale priorizamos o bem-estar, a possibilidade de uma sobrevida longa e, claro, a segurança destes pacientes. Somos a favor de novas tecnologias que possam garantir a eficiência e os bons resultados na luta contra o câncer. Se você também acredita que podemos ampliar o acesso dos pacientes aos novos tratamentos, por meio da participação social, não deixe de contribuir! 

 

Fonte: Advocacy e Políticas Públicas Abrale

Back To Top