skip to Main Content
11 3149-5190 | 0800-773-9973 FALE CONOSCO Como ajudar DOE AGORA

Participe da Consulta Pública em prol da incorporação do Acalabrutinibe aos planos de saúde!

Saúde em suas mãos: nos ajude a reverter a recomendação desfavorável para linfoma de células do manto

A Agência Nacional de Saúde (ANS) abriu a Consulta Pública nº 95 para ouvir a sociedade sobre a incorporação de alguns fármacos, entre eles o Acalabrutinibe, para tratamento de Leucemia Linfocítica Crônica (LLC) e Linfoma de Células do Manto (LCM). O prazo final para envio das contribuições é dia 20 de abril de 2022.

Ao todo, serão analisadas três indicações, para as quais a ANS já recomendou preliminarmente. Para as análises referentes ao tratamento da Leucemia Linfocítica Crônica, a ANS se mostrou favorável à incorporação do Acalabrutinibe, porém desfavorável para o tratamento indicado aos pacientes com Linfoma de Células do Manto recidivado ou refratário, confira:

  • Nº 16 Acalabrutinibe para tratamento de Leucemia Linfocítica Crônica (LLC) em primeira linha – Favorável à incorporação
  • Nº 17 Acalabrutinibe para tratamento de Leucemia Linfocítica Crônica (LLC) recidivada ou refratária – Favorável à incorporação
  • Nº 18 Acalabrutinibe para tratamento de Linfoma de Células do Manto (LCM) recidivado ou refratário – Desfavorável à incorporação

A sua voz importa!

Seja para manter ou reverter a recomendação inicial da ANS, não deixe que decidam sem a sua participação. Essa é a nossa chance de sermos ouvidos e ajudar milhares de pacientes usuários de planos de saúde a terem acesso ao Acalabrutinibe. Por isso, se você é paciente de LLC e LCM, teve experiência prévia com o medicamento, é cuidador, familiar, amigo de paciente ou profissional da saúde, envie a sua contribuição à ANS e exerça o seu direito de participação social!

Como faço para participar?

  1. Acesse o link da Consulta Pública no site da ANS –  Aqui
  2. Abaixo da página, há a seção “Envie seu comentário” 
  3. Selecione a Unidade de Análise Técnica (UAT) que você deseja contribuir e preencha os campos com a sua opinião e justificativa.
    • No campo “Opinião”, fique atento! A recomendação preliminar da ANS para LCM é pela não incorporação do Acalabrutinibe ao rol. Portanto, se você entende que o Acalabrutinibe para LCM deve ser incorporado à saúde suplementar,  deve responder que DISCORDA DA RECOMENDAÇÃO PRELIMINAR. 
    • Por outro lado, as recomendações preliminares do acalabrutinibe indicado para LLC foram favoráveis, portanto, se você entende que o acalabrutinibe para LCM deve ser incorporado à saúde suplementar,  deve responder que CONCORDA COM A RECOMENDAÇÃO PRELIMINAR. 
  4. Depois de preencher, clique em “incluir comentário”. Caso queira contribuir em mais de uma UAT, repita a etapa 3.
  5. Ao selecionar o botão “Continuar”, preencha os seus dados de contato e clique em “Enviar” 

Ressaltamos que antes de fazer a sua contribuição você pode ler os documentos relativos às recomendações preliminares. Eles ajudam a compreender o que embasou a decisão. 

Juntos podemos reverter a recomendação desfavorável para LCM!

Durante a reunião do COSAÚDE, realizada no dia 19 de março, os membros decidiram, por unanimidade,  recomendar a incorporação do acalabrutinibe para linfoma de células do manto (LCM) recidivado ou refratário ao rol da ANS. Na ocasião, consideraram o melhor custo-efetividade quando comparado à tecnologia atualmente disponível, o Ibrutinibe. Entretanto, durante as discussões da 6º Reunião Extraordinária da Diretoria Colegiada (DICOL), realizada no dia 28 de março, o parecer inicial apresentado pela DICOL foi desfavorável à incorporação.

A participação social ampla, no processo de incorporação de novas tecnologias ao rol de eventos e procedimentos da saúde suplementar, não mais se restringe às consultas públicas. Agora, acrescentou-se a tal processo as audiências públicas com a participação aberta à sociedade, para colher contribuições apenas às decisões preliminares desfavoráveis. 

No dia 8 de abril, foi realizada a Audiência Pública nº 21, que entre outras tecnologias, debateu a recomendação de não incorporação do acalabrutinibe para LCM. Representantes de sociedades médicas, médicos especialistas, associações de pacientes e a proponente defenderam a incorporação e confrontaram a decisão preliminar.  O Senhor Eduardo Fróes e o Dr. Renato Sampaio, médico hematologista e diretor da ABHH, na ocasião representaram a Abrale. 

Agora, a consulta pública servirá para a sociedade reforçar a importância da incorporação do acalabrutinibe ao rol de eventos e procedimentos, uma vez que o medicamento se comprovou eficaz, com menores efeitos adversos quando comparado ao ibrutinibe, além de representar uma significativa economia para a saúde suplementar.

Câncer também se combate com informação 

Entenda como é o tratamento, diagnóstico dos principais sinais de cada uma das patologias no site da Abrale. Acesse:

Nós da Abrale priorizamos o bem-estar, a possibilidade de uma sobrevida longa e, claro, a segurança destes pacientes. Somos a favor de novas tecnologias que possam garantir a eficiência e os bons resultados na luta contra o câncer. Se você também acredita que podemos ampliar o acesso dos pacientes aos novos tratamentos, por meio da participação social, não deixe de contribuir! 

 

Fonte: Advocacy e Políticas Públicas Abrale

Back To Top