skip to Main Content
11 3149-5190 | 0800-773-9973 FALE CONOSCO Como ajudar DOE AGORA

ACESSA premia ações que promovem o Autocuidado no Brasil

Fernando Garbeloto dos Santos, vencedor da categoria Estilo de Vida com o projeto Promovendo um Estilo de Vida Saudável através do Aplicativo Meu EducAtivo, desenvolvido pela EducAtivo e Daniel Torres, 2º Vice-Presidente da ACESSA

A ACESSA (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para o Autocuidado em Saúde), antiga ABIMIP e principal interlocutora e representante no país sobre o tema, premiou os vencedores da 1ª edição do Prêmio Autocuidado em Saúde ACESSA. A premiação foi dividida entre as categorias: Comunicação em Saúde e Autoconhecimento; Estilo de Vida; Promoção à Saúde e Uso Racional de MIPs e Outros Produtos. A cerimônia foi realizada na noite de 8 de dezembro.

Na categoria Comunicação em Saúde e Autoconhecimento, o vencedor é o projeto ‘Mais Um Dia – Um Aplicativo Móvel para a Promoção à Saúde Mental entre Jovens Universitários’, desenvolvido pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), que tem como foco reduzir o adoecimento mental e o sofrimento psíquico e suas consequências, entre elas a evasão estudantil. Ele oferece informações sobre distúrbios como ansiedade e depressão e elenca serviços públicos voltados ao atendimento dessas questões.

Os outros finalistas da categoria são os projetos: Comunicação em Saúde e o Empoderamento de Pacientes Onco-Hematológicos, desenvolvido pela Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale) e o Projeto Cuidar: práticas aliadas do equilíbrio emocional, desenvolvido pela Escola Paulista de Medicina/Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Na categoria Estilo de Vida, o vencedor é o projeto ‘Promovendo um Estilo de Vida Saudável através do Aplicativo Meu EducAtivo’, desenvolvido pela EducAtivo. O aplicativo possibilita que professores avaliem de forma simples o desempenho motor dos alunos durante as aulas de educação física – propiciando, assim, o aprimoramento dos movimentos e melhor adequação das práticas propostas.

Os demais finalistas da categoria são os projetos: Colhendo mais do que Vegetais na Horta na Unidade Básica de Saúde, desenvolvido pela Escola Paulista de Medicina/Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM); e Análise da Qualidade de Vida na Área da Enfermagem durante a Covid-19, através do Questionário on-line SF-36, e Intervenções para Redução dos Fatores de Risco à Saúde, desenvolvido pelo Hospital do Servidor Público Estadual (SP) e Centro de Estudos em Medicina do Exercício (Cemex).

Na categoria Promoção à Saúde, o vencedor é o projeto ‘Educação para o Autocuidado com Foco na Promoção da Saúde dos Moradores da Favela da Rocinha’, desenvolvido pela Saúde Contato. Ele promove palestras, rodas de conversa relacionadas ao autocuidado, além de práticas de exercícios físicos meditação, atendimentos de massagem terapêutica, psicoterapia, fisioterapia e nutrição na comunidade do Rio de Janeiro.

Os demais finalistas da categoria foram os projetos: Alfabetização em Saúde Bucal – Criação de uma Plataforma Digital para Educação em Saúde, desenvolvido pela Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (Forp-USP) e Guia de Saúde Bucal para Pessoas com Necessidades Especiais Visuais, desenvolvido pela Áurea Instituto (PE).

Na categoria Uso Racional de MIPs e Outros Produtos, o projeto vencedor é o ‘Educação para Transformação – Campanha Educativa sobre o Uso Racional de Fitoterápicos com Foco na Saúde e na Qualidade de Vida da População’, desenvolvido pela Gerência de Medicamentos Específicos, Fitoterápicos, Dinamizados, Notificados e Gases Medicinais (GMESP) e Gerência-Geral de Medicamentos (GGMED) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que produziram uma cartilha online com alertas sobre o uso adequado de fitoterápicos e como esses medicamentos só podem ser indicados para tratar doenças consideradas não graves ou que não necessitem de acompanhamento médico e não podem ser de uso oftalmológico ou injetável, por exemplo.

O outro finalista da categoria foi o projeto Gestão de Cuidado e Telerreabilitação para Pessoas com Dor Musculoesquelética, desenvolvido pela Tato Fisioterapia Inteligente (SP).

O Prêmio Autocuidado em Saúde ACESSA tem o objetivo de fomentar o desenvolvimento de projetos, pesquisas, campanhas, produtos, serviços e tecnologias que fazem a diferença na promoção do tema e da importância de conscientizar sobre o Autocuidado, prática que consiste na habilidade de indivíduos, famílias e comunidades a promoverem a saúde e prevenirem doenças, com ou sem o apoio de um provedor de saúde.

As quatro categorias foram embasadas nos sete pilares do Autocuidado, estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que são: uso racional de produtos e serviços de saúde; conhecimento seguro de informações em saúde (ou literacia/letramento em saúde); bem-estar mental e autoconhecimento; prática de atividades físicas; alimentação saudável; consciência de atitudes de risco (como tabagismo e álcool em excesso); e boa higiene pessoal e do ambiente.

 

Fonte: Portal Hospitais Brasil

Back To Top